Doria e Haddad (Foto: Lide SP/Divulgação)

Doria e Haddad em evento no grupo liderado pelo tucano em São Paulo (Foto: LideSP/Divulgação)

O ex-ministro da Educação e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) e o atual prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), considerados “planos Bs” de PT e PSDB, respectivamente, para concorrer a Presidência da República em 2018 fazem séries de viagens pelo Brasil e de olho no Nordeste. Em seis meses, o petista registra passagem por ao menos nove estados e dois países, enquanto o tucano visitará seis estados até o final de agosto.

Levantamento feito pelo Estadão/Broadcast com base nas agendas públicas do petista mostra que, de abril até setembro deste ano, o ex-prefeito terá participado de pelo menos 14 eventos públicos em nove estados, ao menos quatro no Nordeste: Bahia, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco, Ceará e Paraíba. Além disso, participou de eventos em Boston, nos Estados Unidos, e Londres, no Reino Unido, nos meses de abril e maio, respectivamente.

O petista está desde a sexta-feira (11) no Recife, onde fez palestras na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e reuniões com aliados e políticos amigos, como o governador Paulo Câmara (PSB), com o qual não descarta aliança. Entretanto, o racha no partido leva parte de filiados ao encontro do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e dificulta retomar aliança com PT.

Contrariando o discurso oficial de parte do PT de que não existe “plano B” para a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Planalto, Haddad confirmou ao Blog do Diario na sexta-feira, na Unicap, que as viagens do ex-presidente Lula e dele faz parte de uma estratégia petista de fortalecer redutos e defender legados. “Faz parte de a gente lembrar que tem um Brasil que deu certo”, disse. Apesar de ele desconversar quando questionado sobre ser a alternativa, caso a candidatura de Lula seja inviabilizada, nos bastidores petistas, comenta-se que ele é o “plano B”.

TUCANO
Segundo a colunista da Folha de S. Paulo, Mônica Bergamo, o prefeito de São Paulo cumprirá “agenda digna de pré-candidato” ao Planalto e também visa ao Nordeste, região em que os tucanos possuem menos força. De segunda (14) a sexta-feira (18), ele fará três viagens por quatro cidades do Norte e do Nordeste e há mais duas previstas.

Em Palmas, no Tocantins, ele participará de um encontro com lideranças tucanas e de uma reunião com empresários para “sensibilizar o empresariado para a importância de uma gestão ética e eficiente”. Na quarta-feira (16), Doria embarca para Natal, no Rio Grande do Norte, onde receberá o título de cidadão natalense.

Já na sexta-feira (18), viaja para Fortaleza, no Ceará, onde se encontrará com empresários para “mostrar resultados de sua gestão” e, na mesma noite, ele viaja ao Recife jantar com empresários. Segundo a Folha de S. Paulo, o tucano tem ainda outras duas viagens agendadas no mês: Vila Velha, no Espirito Santo, no dia 23, e Campina Grande, na Paraíba, no dia 31.

No caso de Doria, que já demonstrou interesse em disputar a Presidência, ele fica à espreita da situação de Alckmin, seu padrinho político, que deseja ser candidato ao Planalto, porém as pesquisas de opinião apontam o prefeito com melhores possibilidades. Doria tem sido sondado por partidos como DEM e PMDB a migrar e se candidatar em 2018. Por ora, ele nega e diz que se mantém nas hostes tucanas.

Haddad e Doria disputaram a eleição municipal de São Paulo em 2016, com vitória do tucano, que tornou-se prefeito da capital.