Bruno Araújo (Foto: Divulgação)

Tucanos usaram convenção municipal de Gravatá para enaltecer ministro tucano (Foto: Divulgação)

Após minar o ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes, a cúpula do PSDB usou a convenção municipal de Gravatá, no Agreste, para afagar o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB). Além de reconduzir Maria de Fátima Félix à presidência do diretório municipal, o ato, deste domingo (08), na Câmara Municipal de Gravatá, serviu para reforçar o nome do ministro tucano na campanha estadual de 2018. Apesar de constantemente dizer que o partido ainda não estaria debatendo nomes, mas a construção da frente de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB), Araújo afirmou, que não se furtará de ser o candidato ao governo de Pernambuco pelo PSDB.

“Se daqui de Gravatá, um dia saiu o primeiro prefeito do PSDB no Brasil, daqui de Gravatá, a partir dessa convenção, pode sair o primeiro governador do PSDB em Pernambuco. Eu não me furtarei”, comprometeu-se o ministro.

Antes, o tucano criticou o governo estadual. “Vamos acentuar esse processo de pactuação de um novo Pernambuco a partir de como todos enxergam soluções para os problemas  como o grave desmando da segurança por exemplo. Somos e podemos ser um catalisador para devolver uma esperança, para que Pernambuco volte a ter o protagonismo de comando e liderança nacionais. Para nós não é suficiente que Pernambuco tenha quatro ministros. Isso é importante, ajuda muito o Estado, mas Pernambuco precisa voltar a ter sua liderança própria, o seu mandatário, que tenha o tamanho da nossa história política no cenário nacional”, frisou.

Ao contrário da convenção do Recife, em que os tucanos tentaram transparecer unidade partidária, no Agreste o direcionamento era enaltecer Araújo e lançá-lo como o candidato. “O PSDB tem o melhor nome para disputar a eleição ao governo do Estado que é o ministro Bruno Araújo. Com o poder de articulação e com o respeito que o ministro adquiriu ao longo desses anos com seu trabalho, não há melhor nome para ser governador do Estado”, defendeu o prefeito Joaquim Neto.

“Nós perdermos um grande líder, nosso ex-presidente Sérgio Guerra, mas o partido cresceu em número de prefeitos. O PSDB foi o segundo maior partido em votação na última eleição em Pernambuco. Isso demonstra que o partido está vivo, que vamos crescer ainda mais com o ministro Bruno Araújo na presidência”, disse o deputado estadual Antônio Moraes, presidente estadual do PSDB.

Moraes e Araújo são acusados por Elias Gomes e seu filho, deputado federal Betinho Gomes, de não cumprirem um acordo relativo a transferência do comando da legenda para o ex-prefeito. No primeiro momento, os Gomes criticaram o ministro, depois Elias se lançou pré-candidato ao governo de Pernambuco e lançou o deputado federal Daniel Coelho para presidência estadual da legenda. A cúpula tucana reagiu a favor de Araújo, que controla a sigla, desde a morte de Guerra.