(Foto: Marcos Corrêa/PR)

Presidente comparou dados da economia no governo Dilma, do qual era vice (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Acuado, o presidente Michel Temer (PMDB) pediu, nesta quarta-feira (13), aos parlamentares e ministros que defendam o governo e apoiem a aprovação das reformas. Na iminência de sofrer nova denúncia e expectativa de aprovar a reforma da Previdência, o peemedebista se reuniu com líder da base aliada na Câmara dos Deputados, no Palácio da Alvorada, e apresentou o desempenho da economia em sua gestão, comparando-a com o governo Dilma Rousseff, da qual era vice, para convencer os aliados.

Segundo a Agência Brasil, compareceram ao café 19 ministros e 17 parlamentares. Em sua apresentação, o presidente comparou dados de antes do início de seu governo – na gestão Dilma Rousseff – com os dos dias atuais, com melhora em itens como a inflação, os juros, o emprego, a produção industrial, com destaque para a produção de veículos. Temer pediu aos parlamentares que apresentem esses dados positivos da economia a suas bancadas no Congresso Nacional e acrescentem as previsões de melhora esperadas.

Durante o discurso, Temer disse os parlamentares que incentivem deputados e senadores a fazerem um “discurso de rebate” e não se aquietem quando ouvirem críticas. “Muitas vezes vejo que a pessoa vai para um lugar, ouve uma coisa negativa e se aquieta, fica em silêncio. Não pode se aquietar. Vejam nosso exemplo, não nos aquietamos. Porque pensamos, enquanto as pessoas vão protestando, a caravana vai passando porque nosso objetivo é governar, pensar no Brasil. E é esse o legado que queremos deixar”, disse.

Com relação às reformas em tramitação no Congresso, o peemedebista disse que pretende fazer outros encontros com os parlamentares para discutir a simplificação tributária e também a reforma da Previdência.

* Com agências