Deputado Jarbas Vasconcelos

Apesar de decisão do PMDB de fechar questão, Jarbas mantém voto contra Temer (Foto: Arquivo)

Vice-líder do governo na Câmara, o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) anunciou, nesta quarta-feira (12), que o partido fechou questão contra a denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e exigirá de seus deputados posicionamento favorável ao presidente Michel Temer (PMDB) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e no plenário da Casa. A reunião da Executiva do partido contou 24 membros da legenda, entre deputados, senadores e ministros. O deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB), que já havia se manifestado a favor da denúncia, disse que não mudará voto, tampouco teme represália.

“Voto e sempre votarei com minha consciência. Não mudo o meu entendimento sobre esse assunto por medo de represálias. Quem achar o contrário é porque não me conhece”, disse Jarbas, sobre o fechamento de questão do partido.

Perondi disse que a decisão foi unânime entre os presentes à reunião e que os deputados que não acompanharem a deliberação do partido de fechar questão sofrerão penalidades. Segundo ele, os parlamentares não serão expulsos da legenda, mas, por exemplo, se, são membros de uma comissão, ou presidentes em comissão ou do partido num Estado, perderão essas posições. Afirmou ainda que o partido está “unidíssimo”.

O vice-líder do governo afirmou que o correligionário deputado Sergio Zveiter (RJ), relator na CCJ, que apresentou parecer favorável ao prosseguimento da denúncia contra Temer, não será expulso do partido, mas sim penalizado. O peemedebista, entretanto, negou que o fechamento de questão tenha sido uma exigência do Palácio do Planalto.

Shares