Caso se confirme, Michel Temer terá de traçar nova estratégia (Foto: Arquivo)

Caso se confirme, Michel Temer terá de traçar nova estratégia (Foto: Arquivo)

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deverá apresentar três denúncias contra o presidente Michel Temer (PMDB) ao Supremo Tribunal Federal, com base nas delações da JBS, segundo a revista Época. Contudo, nos bastidores de Brasília, comenta-se a possibilidade de haver uma quarta acusação. Ao “fatiar” a denúncia, a Procuradoria Geral da República (PGR) não usará apenas uma estratégia jurídica, mas política para desgastar o peemedebista.

Caso se confirme esse caminho, serão oferecidas denúncias, em momentos distintos, pelos crimes de corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa, além da possibilidade de haver a de prevaricação. As duas ainda requerem diligências. Desta forma, a Câmara dos Deputados seria obrigada a realizar três ou quatro votações para decidir se autoriza ou não o STF a processar o presidente, acentuando o desgaste.

Com a nova estratégia da PGR, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, terá de remeter todas denúncias para a apreciação da Câmara. Os planos do governo de concentrar esforços para barrar apenas uma autorização na Casa precisam ser revistos.